Iodo

A tireoide é um órgão localizado na base do pescoço, que tem como função produzir os hormônios responsáveis por controlar a velocidade do nosso metabolismo. Os hormônios da tireoide são chamados de triiodotironina (T3) e tiroxina (T4). O funcionamento da tireoide é controlado por outro hormônio chamado TSH, produzido na glândula hipófise do cérebro.

Hipotireoidismo: O hipotireoidismo pode ser classificado como primário, secundário ou sub-clínico. Uma das causas mais comum de hipotireoidismo primário é tireoidite de Hashimoto, um processo autoimune que ataca a glândula tireoide. O hipotireoidismo secundário é causado por problemas da hipófise (tumor, radiação ou destruição da hipófise).
No hipotireoidismo subclínico o paciente apresenta sintomas brandos, inicialmente. O hipotireoidismo é mais comum em mulheres, mas pode ocorrer em qualquer indivíduo, independente de gênero ou idade.

iod

As manifestações clínicas mais comuns no hipotireoidismo são:

– Obesidade ou dificuldade de perder peso, aumento nos níveis de colesterol, intolerância ao frio, pressão baixa, ansiedade, lentidão de movimentos, falta de atenção/concentração, depressão, fadiga matinal (cansaço já ao acordar), inchaço das pernas, constipação, cefaleia (dores de cabeça), pele ressecada, insônia, queda de cabelos, etc.

As complicações causadas pelo hipotireoidismo são normalizadas por meio da modulação hormonal, acompanha só:
O IODO é um mineral fundamental para o desenvolvimento do nosso organismo. Infelizmente, existiu por muitos anos uma IODOFOBIA MÉDICA – que é um medo injustificável de fazer uso de Iodo, por um mal entendido entre as drogas sintéticas, iodo orgânico e inorgânico (associado à razões financeiras e muita desinformação).
O Dr. Guy Abraham, uma das maiores autoridades mundiais na suplementação de Iodo, afirma que “a Iodofobia médica pode ter causado mais sofrimento e morte humana que as duas grandes guerras juntas, deixando de prevenir patologias com doses diárias de iodo necessárias para a otimização física e saúde metal”. Hoje, quando falamos de suplementação com lugol‬ nos referimos ao Iodo/Iodeto inorgânico, não radioativo, dentro de uma dose que é sabido ser extremamente segura e eficaz na prevenção e tratamento de inúmeras patologias. O entendimento do NIS – Simporter de Iodo e Sódio, é fundamental na compreensão dos benefícios da suplementação com a solução de Lugol: A glândula tireoide apresenta a propriedade de concentrar iodo e torna-o disponível para a síntese de hormônios tireoidianos: triiodotironina (T3) e tiroxina (T4). A síntese desses hormônios requer APROPRIADO APORTE DIETÉTICO DE IODO (ingestão via oral de iodeto), seguido de uma série de reações bioquímicas que têm lugar nas células foliculares da glândula tireoide. A síntese de hormônios tireoidianos depende fundamentalmente da captação de iodo do meio extracelular para o interior do tireócito (simportador sódio/iodeto).
Os hormônios tireoidianos são essenciais para o pleno desenvolvimento de órgãos, sistemas e controle do metabolismo. A falta de hormônios da tireoide leva à redução no metabolismo, causando os sintomas do hipotireoidismo citados acima. Embora a glândula tireoide contenha a maior concentração do corpo de iodo, as glândulas salivares, o cérebro, o líquor, a mucosa gástrica, as mamas, os ovários e uma parte do olho também concentram o iodo. Ele possui fortes propriedades antibacterianas, antiparasitárias, antivirais e anticâncer. O iodo aumenta a produção de ATP (energia), desempenha um papel na fisiologia de respostas inflamatórias – que é importante no sistema imune – aumenta a libertação de tóxicos halogéneos (flúor, bromo e cloro), a partir dos sistemas celulares, esses halogênios tóxicos impactam negativamente todos os nossos órgãos, incluindo a função da tireoide.

“Deficiência de Iodo é um problema importante de saúde pública em 129 países. Em torno de 72% da população do mundo é afetada por deficiência de Iodo. 20% do Iodo no organismo humano são armazenados na pele, especificamente nas glândulas sudoríparas. A falta de Iodo nestas glândulas se manifesta como pele seca e a diminuição da capacidade para transpirar. FIQUE ALERTA SE VOCÊ NÃO TRANSPIRA!”

Mulheres japonesas são as que consomem a maior quantidade de Iodo entre todas as mulheres no mundo e adivinhe, o Japão tem a mais baixa taxa mundial de mortalidade perinatal! Além disso, inúmeros estudos demonstraram que a suplementação de Iodo durante a gestação aumenta o QI das crianças, quando avaliadas aos 18 meses.
O Iodo também se concentra no tecido mamário e a deficiência do Iodo nos seios se manifesta como a doença fibrocística da mama (seios doloridos com nódulos e cistos muitas vezes sintomáticos antes da menstruação). Quanto mais tempo esta doença está presente, maior é o risco potencial do desenvolvimento de CÂNCER MAMÁRIO‬. E ainda, mulheres com história de câncer de mama são quase três vezes mais propensos a desenvolver câncer de tireoide que as mulheres sem esse quadro.
O Iodo pode estar concentrado no tecido do estômago, e sua falta se manifesta como acloridria (falta de produção de ácido digestivo). A falta prolongada de ácido clorídrico provoca uma maior incidência de câncer‬ de estômago.
Pode, também, estar concentrado nos ovários. Estudos realizados na Rússia alguns anos atrás mostraram uma relação entre a deficiência de Iodo e a presença de cistos nos ovários. Quanto maior é a deficiência de ‎Iodo‬, maior a quantidade de cistos ovarianos na mulher.

Fonte:
– Aerican Thyroid Association: www.thyroid.org.
– The Safe and Effective Implementation of Orthoiodosupplementation In Medical Practice – by Guy E. Abraham, MD

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *