bioimpedância

A avaliação da composição corporal tem recebido importância cada vez maior devido ao papel dos componentes corporais na saúde humana. O excesso de gordura corporal e sua distribuição centralizada, se destacam pela influência no aparecimento das doenças crônicas não transmissíveis, principalmente as doenças cardiovasculares. Há uma série de métodos para a avaliação da composição corporal, um dos métodos mais sofisticados atualmente é a bioimpedância tetrapolar – um exame rápido e indolor que AVALIA A COMPOSIÇÃO CORPORAL pela passagem da corrente elétrica que vai desde os membros superiores até os membros inferiores (diferentemente da bioimpedância bipolar, que mede apenas membros inferiores). A partir do resultado, é possível saber quais efeitos a dieta e as atividades físicas estão tendo sobre a composição corporal do indivíduo.

Alguns resultados obtidos pela bioimpedância são:
-Peso
-Massa de músculo esquelético
-Massa de gordura corporal
-Água corporal total
-Percentual de gordura corporal
-Relação cintura-quadril
-Taxa de metabolismo basal

O que se tinha como principal cálculo para classificação de uma pessoa quanto ao seu estado nutricional, o IMC (índice de massa corporal) que mede simplesmente a relação peso e altura, já não é mais um parâmetro fidedigno e está ultrapassado. Aliás, um atleta fisioculturista, extremamente musculoso, e uma pessoa da mesma estatura e obesa têm pesos e alturas semelhantes, portanto, IMC semelhantes para pessoas absolutamente distintas em sua proporção corporal e saúde. Conseguiram entender? Felizmente, hoje, dispomos de aparelhos modernos que trabalham com tecnologia de bioimpedância, que realizam medição muito mais fiel.
A associação entre excesso de peso corporal e aumento da morbi-mortalidade tem sido demonstrada em vários estudos epidemiológicos. Dados da World Health Organization mostram que a doença isquêmica do coração e o acidente vascular cerebral estão em primeiro lugar entre as causas de mortalidade. Diante desta estimativa e do fato de a obesidade ser fator de risco importante para doenças crônicas não transmissíveis, o diagnóstico é de fundamental importância para o direcionamento das ações de saúde e redução da morbi-mortalidade. O corpo é composto por massa livre de gorduras (músculos, ossos, órgãos vitais), gordura e água. O seu peso total corresponde à soma destes valores. Vamos supor que você pretenda emagrecer 10 kg; como saber se o que está perdendo é tecido adiposo (gordura) ou tecido magro (massa muscular)? EMAGRECER NÃO É PESAR MENOS NA BALANÇA, É PERDER GORDURA! Emagrecer é eliminar o excesso de tecido adiposo, ao contrário de perder peso, que pode ocorrer por perda de qualquer um dos outros tecidos corporais, ou apenas por perda de líquidos retidos.
Já quem treina para hipertrofiar muscular, A BIOIMPEDÂNCIA SERVE PARA AVALIAR O IMPACTO DA ATIVIDADE FÍSICA NA COMPOSIÇÃO CORPORAL, o quanto você tem evoluído, para saber se necessariamente está construindo fibras musculares ou se está apenas retendo líquidos, além de saber se a sua porcentagem de gordura tem reduzido.

Fonte:
– Arquivos Latino americanos de Nutrição: Revisão crítica dos métodos disponíveis para avaliar a composição corporal em grandes estudos populacionais e clínicos; F. Rezende, ET AL. 2007.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *